terça-feira, julho 20, 2010

Eu e o meu direito de votar... NULO - Um desabafo 'político'


Ano de eleições e todos na Internet eufóricos defendente seus candidatos e partidos. Eu, quietinha assistindo de longe a tudo. Primeiro ano oficialmente onde a Internet fará parte da vida eleitoral do brasileiro e eu fico lendo (e ouvindo) desaforos de alguns partidários mais 'alegres' quando comento o fato de votar nulo com prazer. 

Ontem, depois de ter lido alguns sites e blogs deflagrando comentários sobre a importância do voto e coisa e tal, me dei o direito de pela primeira vez falar sobre o que penso da política. A @samegui publicou em seu blog um pensamento que foi divulgado no twitter sobre o 'porquê devemos nos interessar por política'... Pensamento vasto de interpretação dito por Arnold Toynbee, 'O maior castigo para aqueles que não se interessam por política, é que serão governados pelos que se interessam.'

Depois de ler isso lembrei de um post que a @rosana também tinha publicado em seu blog falando do mesmo assunto, onde em um texto de Berthold Brecht aqueles, que como eu, odeiam a politicagem, são classificados como burros. Confesso, a princípio me senti um tanto ofendida, mas deixei para lá. Afinal a Internet é um lugar de opiniões, assim como na vida offline, cada um tem a sua e seguimos em frente. Esqueci do assunto.

Aí li o texto da Sam e de tantos outros, e ainda se juntou com diversos candidatos me seguindo e entupindo a minha timeline com mensagens enlatadas do tipo 'vote em mim' por isso ou por aquilo mais. Não estou aqui para obrigar ninguém a pensar como eu penso, só estou no meu direito, assim como de todas as pessoas que eu li, de proferir o meu pensamento sobre o tema. 


Não odeio a política. Odeio a politicagem. A política por mais que não gostemos, ao vivermos em sociedade respiramos a mesma o tempo todo. O ato de acender ou apagar um interruptor de luz de sua sala, conectar seu computador, atender seu celular, tomar um banho de chuveiro, entre outras coisas ordinárias do dia é política. É viver em sociedade. 

política 
(grego politiká, assuntos públicos, ciência política)
s. f.
1. Ciência do governo das nações.
2. Arte de regular as relações de um Estado com os outros Estados.
3. Sistema particular de um governo.
4. Tratado de política.
5. Fig. Modo de haver-se, em assuntos particulares, a fim de obter o que se deseja.
6. Esperteza, finura, maquiavelismo.
7. Cerimônia, cortesia, civilidade, urbanidade.
(fonte: Priberam)


Mas apesar de atualmente a Política estar classificada como apenas a ciência do governo das nações eu ainda prefiro a definição mais que completa de Aristóteles em que ele classifica política como a ciência que tem por objeto a felicidade humana, se dividindo em ética e na 'política' propriamente dita, ou aquela que se 'preocupa com o coletivo'. Para ele o homem é um animal político. Aceito, acredito e confirmo isso e ponto final. Porém com a evolução do mundo e as diversas interpretações da palavras nações e governantes (e mais tarde cidadãos comuns) começaram a confundir Política com Poder. Duas coisas completamente diferentes.

Existe o Poder e o Poder Político. O segundo nada mais é do que exercer o seu poder pessoal sobre outrem, ou seja, é usar seu conjunto de meios afim de alcançar um objetivo ou desejo. Neste caso, superar a outra pessoa. O Poder por si só existe em toda natureza. Os animais são poderosos e os mais poderosos sobrevivem, mas são raros os animais (irracionais) que são 'políticos'. Nós pensamos, por esse motivo, nós elevamos nossa natureza de 'tirar vantagem', mesmo quando não somos 'poderosos' a ponto de sobreviver ao outro. No Brasil, muito conhecido como o 'jeitinho brasileiro'. 

Ai volto ao assunto do 'odeio politicagem'. Não posso odiar a Política, porque vivo em uma sociedade, nasci nela e irei morrer nela, nos civilizamos há milhares de anos atrás e vai ser difícil mudar esse quadro. As não sou obrigada a gostar do jogo de poder que as interpretações individuais levam sobre o tema, a politicagem. Teve uma época em que eu gostava de me inteirar, participar ativamente, estudar sobre, mas isso foi mudando conforme fui ficando mais velha e vendo os acontecimento, não só no Brasil, mas no mundo.

politicagem
s. f.
Deprec. Politiquice.

politiquice
s. f.
1. Deprec. Ato de politiqueiro.
2. Política ordinária, mesquinha.
(Fonte: Priberam)

Já começa na parte do voto ser 'um direito conquistado' e eu ser 'obrigada' a exercê-lo. Se é um direito meu não posso ser obrigada a fazer o que eu não quero. Já votei. Já tive o imenso prazer de sair da minha casa e ir lá computar (ops, na época era escrever ainda - e votei muito no Macaco Tião) a minha opinião. Mas o tempo passou e de todos os que votei, e dos outros que ficaram para trás (e depois conseguiram entrar em períodos diferentes), não vi nada de novo. Promessas. Só isso que aqueles que vivem de politicagem sabem fazer. Virou um jogo de poder e não mais um arte de fazer política. A essência do significado de política ter como o objetivo principal a felicidade humana coletiva não existe mais. Hoje o que vale (e não é só hoje, já ocorre há muito tempo) é a lei da vantagem, quem leva mais, quem paga mais, quem rouba mais.


Política vou continuar fazer. O ato de postar nesse blog é um ato político, porém politicagem estou fora. Não deixo de admirar alguns políticos pelos seres humanos que eles são (você pode ver que sigo alguns em meu twitter), mas não voto, não peço voto nem comento sobre 'política' (a deturpada) com eles. Se existe uma opção ANULAR, é um direito meu, conquistado por meus antepassados, de usá-la. Sim! Eu voto nulo desde 1996 e é meu direito apertar o botão NULO... Enquanto os 'políticos' preferirem o 'poder' ao 'poder político' vou continuar assim. Odeio quando todos que 'defenderam' as Diretas Já ficam gritando que o 'voto é um direito conquistado', mas nos 'obrigam a votar'. É a mesma coisa que te mandarem um 'convite' para uma festa e te 'obrigarem' a confirmar a presença. Você está sendo convidado, pode ir ou não. Não é intimado a comparecer. Coisa mais chata isso!

Não sou burra e não fico abalada quando ficam falando que a pobreza e suas consequências são por conta do meu não-voto. Lá no texto publicado pela Rosana o Brecht fala que 'da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e o lacaio das empresas nacionais e multinacionais.' Pois bem, as prostituas existem mesmo antes de Jesus Cristo pisar na Terra, as crianças abandonadas idem. O político vigarista nada mais é que um ser humano também vigarista, onde estivesse, ou fizesse o que fosse continuaria sendo a mesma coisa e agindo da mesma forma... E lacaio de empresas? Desculpe... Isso todos nós somos a partir do momento em que vivemos num mundo capitalista e dependemos de dinheiro até para beber água, um bem que os religiosos afirmam ter sido 'dado' por Deus gratuitamente... Não é o meu direito de votar ou não que vai modificar esse cenário!

Burro é aquele que acha que os políticos não se modificam quando chegam ao poder. O atual presidente vivia arrotando milhares de promessas quando então candidato e quando sentou na cadeirinha do 'poder' deixou o ego se elevar e hoje dança conforme a música em que todos eles dançaram esses anos todos. E nem entro em detalhes sobre o que penso da época da Ditadura Militar, senão aí sim iam querer me matar... Só digo uma coisa: saudade dos tempos da minha avó, pelo menos leite nunca faltou dentro de nossa casa e nome limpo era uma coisa que nos dava orgulho de ter. Hoje, nem o país tem nome limpo, quanto mais os brasileiros...



8 comentários

Tiozão das Batidas disse...

A política é a ciência que procura induzir o Homem a escolher entre ser assaltado ou roubado. Se o Homem desejar uma terceira alternativa , será taxado de apolítico, alienado e anarquista.

Ana Magal disse...

É meu amigo... Outro dia viraram para mim em uma roda de amigos: qual sua posição política? eu respondi: não tenho. Aí falaram: ah então você é apolítica... Eu respondi: eu sou a Ana Paula, mas se você quer me chamar assim tudo. Se irei responder, serão outros 500...

Você resumiu bem o que eu quis dizer! Beijos!

YaKuTe disse...

Eu tenho 14 anos e sonho em ser jornalista achei esse site por acaso e li esse artigo,ainda nao tenho idade para votar,mas compreendo seu ponto e te apoio,meus pais votam nulo e votarei tbm,cada um tem a sua opiniao

Alcione Torres disse...

Ana

Passo pelos mesmos constrangimentos que você quando digo que voto nulo, que não concordo com a política que se faz e que não confio nos políticos que se apresentam.
Quando acho que um político fez algo de bom, voto nele sim, mas confesso que fiz isso pouquíssimas vezes na minha vida de eleitora.
Gostei muito do seu texto e tomo a liberdade de divulgá-lo.
Abraços.

Ana Magal disse...

Yakute (que eu não sei o nome rs - ou será que é esse mesmo O.o?) - Você já, já estará com idade para tirar o título. Votar ou não, como falei é uma opção pessoal. Não se guie por seus pais, amigos ou seja lá quem for. Criar um opinião própria, mostrará ao mundo o quão maduro você está para mudar nosso futuro =D

Alcione, bem vinda! Eu sou como você, me sinto chateada quando alguém acha que só porque opto por anular sou burra e faço mal ao meu país. Pelo contrário: amo meu país. Por amá-lo é que não acho certo o que eles fazem aqui. Queria que o congresso promulgasse uma lei assim: QUEM FOR POLÍTICO, SERÁ GRATUITAMENTE, PQ AMA O SEU PAÍS. SEM SALÁRIO, SEM MORDOMIAS, SEM DESPESAS...Queria ver se ia ficar alguém lá???

Reclamam que não podem aumentar o salário mínimo para 'no mínimo' uns R$ 1.300 (e olha que mesmo assim não iria dar) porque o caixa do governo não aguenta... Mas engraçado como é que o caixa do governo aguenta aumentar o salário de deputados e senadores para 20, 30, 40 mil reais??? Enquanto a maior parte da população tem que viver com menos de 600??

Por isso, falo: LIMPAR GERAL NO CONGRESSO. BOICOTE AS ELEIÇÕES. Se ninguém votar em ninguém serão obrigados a nos escutar!!!

Volte sempre Alcione e pode divulgar à vontade!

BNÊ disse...

Belo texto e explicações ainda mais. Só acho que o voto não deva ser obrigatório quando todo o povo estar alfabetizado sabendo assim o seu valor e dá-lo a quem também tenha.

SOU SAN... disse...

Pois é!!! Eu não busco nada, mas, de repente, existe alguém neste "mundão de meu Deus" fazendo eco aos meus pensamentos políticos!!! (ou seria mais correto dizer apoliticos?). Não defendo, em absoluto, a teoria do caos, mas devo ter nascido, segundo minha familia, extremamente inclinada ao anarquismo. Sempre defendi um boicote geral às eleições. Imagine esse pais imenso, não vou dizer "sem nenhum voto na urna", porque candidato também vota, assim como seus parentes, amigos e "cupinchas" (capangas?), mas sem nenhum voto do eleitor que coloca o "fulano" na raia! E, pelos motivos corretos: o boicote seria a forma mais gritante de dizer "basta, nós, brasileiros, não queremos nenhum de voces no poder". Não vou te chamar de "alma gêmea" porque isso seria o "ó", concorda? Desculpe pela extensão do comentário.

janciron disse...

POR QUE VOTO NULO? Porque quero que meu voto diga alguma coisa! Se eu escolhesse este ou aquele político, talvez elegesse um ovo sadio para colocar na cesta de ovos podres. E todos sabem o que acontece...O problema não é que alguns políticos são podres. O problema é que a maioria está com costumes apodrecidos. Basta ver como votam e se protegem uns aos outros. Como conservam seus privilégios e suas impunidades até por crimes comuns. Por isso, voto nulo: quero dizer com meu voto que sou contra a podridão e não contra este ou aquele político podre. Porque não quero votar em nulidades. Os "representantes do povo" são apenas uma parte do governo. São os que deveriam fazer as leis em "nome do povo". Mas eles fazem em seu próprio nome e no interesse dos que deram o dinheiro para que se elegessem. E aceitam, passivamente, que o executivo legisle. O executivo deveria respeitar a vontade do povo, mas respeita mesmo é a lei do mais forte. O judiciário, infelizmente, que seria a última barreira contra o arbítrio, julga por conveniência, pelo direito positivo apenas, seja legítimo ou não, justo ou não. Desconhece ou esqueceu os princípios da justiça, da eqüidade e da livre expressão das vontades nos contratos. Em resumo: os cidadãos revestidos com cargos públicos se nulificam, perante a força dos poderosos. Então, por que votar em nulidades? Porque se sou contra a pena de morte, não tenho que eleger o carrasco Seria inconcebível que se alguém fosse contra a pena de morte participasse da eleição do carrasco, não é mesmo? E já imaginou se o argumento fosse o de escolher um carrasco mais simpático...ou mais humano? É quase a mesma coisa. Se você é contra a corrente que te ataram ao pescoço, não se trata de escolher quem vai segura-la, mas encontrar uma forma de se livrar dela...e de todos os que querem atar correntes em teu pescoço e segura-la. Porque não estou contra este ou aquele político: ESTOU CONTRA O SISTEMA POLÍTICO! O Sistema Político que aí está é um perpetuador da corrupção, do nepotismo e da impunidade. Os partidos têm a reserva da representação e escolhem (e mal) as pessoas em quem você ou eu poderemos votar. E só podemos votar nos que eles já escolheram. Eleitos, quem os tira de lá? Só eles mesmos! Claro que a gente pode pressionar. Mas se eles não quiserem, nada feito. Lembra? A maioria absoluta dos brasileiros disse em praça pública que queria eleições diretas. Mas quem decidiu foram umas centenas de parlamentares. Corruptos, traficantes e até assassinos, réus confessos, se abrigam sob a impunidade parlamentar. É o Sistema Político que está podre, absorvendo e apodrecendo a Sociedade, servindo de modelo e apodrecendo tudo em que toca. Votar Nulo resolve? Não, mas já é um começo. É um recado claro de que já sabemos que não adianta só eleger. Queremos fiscalizar, queremos voto optativo, queremos o fim da impunidade, queremos poder tirar de lá quem nos enganou, queremos votar as nossas leis, queremos menos impostos, menos governo, queremos partidos responsáveis, queremos poder eleger candidatos independentes dos partidos, queremos ser cidadãos e não súditos.
O Voto Nulo é só um recado. É só um começo. Mas já é alguma coisa. É o começo de uma tomada de consciência. VOTO NULO! VOTO ÚTIL!
Quero que meu voto seja útil. Não utilizado por este ou aquele candidato para "arrumar" sua vida e a vida de seus cupinchas.
Útil para dizer que não concordo mais com tanta impunidade, tanta roubalheira e tanta podridão! Que também quero: Reforma Política é Jurídica Já!!!

Postar um comentário

Leia as regras:
Os comentários deste blog são moderados.
Use sua conta do Google ou OpenID.

Não serão aprovados comentários:
* com ofensas, palavrões ou ameaças;
* que não sejam relacionados ao tema do post
* com pedidos de parceria;
* com excesso de miguxês CAIXA ALTA, mimimis ou erros grosseiros de ortografia;
* sem e-mails para resposta ou perfis desbloqueados;
* citar nome de terceiros em relação à apologias, crimes ou afirmações parecidas;
* com SPAM ou propaganda de blogs.

Importante:
* Diferença de opinião? Me envie um e-mail e vamos conversar educadamente.
* Parceria somente por e-mail.
* Dúvidas? consulte o Google!

Obrigada por sua visita e comentário. Volte sempre!
OBS: Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog e de sua autora.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo
 
;