sábado, janeiro 17, 2009

E o transporte carioca? Vai mal, obrigada!

Cada dia mais os cariocas enlouquecem para
circular nos transportes públicos da cidade

Eu como carioca, suburbana e desempregada, sou um tipo clássico daquelas pessoas que precisam "ralar", literalmente, para pegar um transporte decente no dia-a-dia na cidade do Rio de Janeiro. Nasci e me criei na zona norte do Rio. Lá não tinha um transporte 100%, mas com certeza atendia bem melhor a população local do que onde estou agora.

Há seis anos morando em Campo Grande, zona oeste do Rio, o que mais escuto, e vivo, é sobre o transtorno dos moradores da região para conseguir se locomover entre os bairros cariocas. O transporte na zona oeste cada diz mais vira foco das reclamações dos moradores. Segundo a ouvidoria da SMTU, esta zona da cidade é a que mais sofre com o sistema de transporte, principalmente no trecho que vai de Senador Camará e Santa Cruz. Linhas extintas e escassez são as maiores reclamações entre os usuários.

Em uma pesquisa feita pelo IBOPE em 2005, 35% dos entrevistados atestaram que o serviço do transporte público na zona oeste piorou nos últimos anos. Mais de 500 mil pessoas deixam de viajar de ônibus todos os dias para economizarem dinheiro, optando pelos transportes alternativos, que dizem serem mais rápidos, mesmo não sendo tão seguro. O Departamento de Transportes Rodoviários do Estado (DETRO) constatou em sua última pesquisa, de 2006, que o mais irritante para os usuários dessa região, além da falta de linhas para determinadas áreas da cidade, é o numero reduzido de coletivos e o não cumprimento dos horários. E o pior de tudo é a segurança, ou melhor a falta dela. A maioria das linhas circulam com veículos caindo aos pedaços literalmente em cima dos passageiros.

A zona oeste do Rio é uma região em que o contingente populacional cresce mais rápido que nas outras áreas da cidade, com isso ela sofre mais os impactos dos problemas nos transportes urbanos. A maioria da população da região mora longe dos principais focos de transporte. Isso dificulta seu remanejamento profissional, pois não são todas as empresas - a maioria delas situada na região central - que concordam em pagar mais que uma passagem ao futuro empregado, gerando assim um crescimento no mercado informal da região.

Segundo estudos realizados pela Secretaria de Estado de Transportes e Companhia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística (CENTRAL) em 2001, o crescimento observado nos bairros da zona oeste não foi citado em nenhuma das pesquisas realizadas (PASMEM!) desde a década de 70. De lá para cá ocorrem tentativas de organizar melhor o fluxo do sistema de tráfego na região metropolitana, para isso foram construídas as Linhas Vermelha e Amarela, e em seguida a Via Light. Efetivaram concessões à iniciativa privada da operação dos sistemas metroviário, ferroviário e aquaviário tentando melhorar o atendimento à população da região, mas nada conseguiu mudar esse cenário.

Nesse cenário de descaso com a população da zona oeste, as empresas não respeitam o direito do passe livre, que sempre torna a ser motivo de discussão na Alerj. Muitos idosos são obrigados a pular a catraca ou se arrastarem pelo chão para terem seu direito à gratuidade concedida por direito. Isso se reflete no aumento do número dos micros ônibus que rodam pela região. Com esses veículos circulando, as empresas selecionam o tipo de passageiro que possa vir a utilizar o seu serviço, já que na maioria deles não existe a possibilidade de passar o cartão gratuidade.

Algumas pessoas e políticos da região estão dando como opção alternativa de transporte a velha conhecida bicicleta. Muitos moradores da zona oeste já a utilizam como meio de circulação em seus sub-bairros. Em 2006 ocorreu uma bicicleata que foi da zona sul até a rodoviária de Campo Grande na zona oeste.

A Rio ônibus, responsável pela liberação de licitações, apoio a empresas e clientes usuários de transporte público do Rio de Janeiro declarou que informatizou o sistema de atendimento ao cliente da SMTU, unificando o serviço junto a eles. Com treinamento de funcionários, sistemas integrados e computadores de última geração, a Assessoria de RH diz que a qualidade de atendimento teve uma melhora de 37% no ano de 2007 e espera melhorar em mais sete pontos esse atendimento até o final do primeiro semestre de 2009. As reclamações são atendidas por funcionários da prefeitura, que registram as solicitações dos clientes, anotando o nome da empresa, o número do carro onde ocorreu o problema e dados pessoais; repassam ao reclamante um número de registro de reclamação para que possam acompanhar esse processo até sua finalização. Simulei uma reclamação no dia 29 de outubro de 2008, e até o término desse texto ainda não tinha a resposta finalizada.

Fica então uma pergunta no ar. Será que teremos que voltar ao tempo de nossos bisavôs, utilizando bicicletas, cavalos e carroças para nos movimentarmos pela cidade, já que não conseguimos ter um transporte público digno e de qualidade? Poucas pessoas sabem que tem o direito de reclamar das empresas de transporte, mas em contraponto, as empresas, mesmo mantendo um bom nível de atendimento em seu SAC, não conseguem resolver a maioria dos problemas apresentados por seus clientes.

Falta de tudo, e não só na região oeste da cidade, mas em todo o Rio de Janeiro. Segurança, transporte, saúde e educação hoje são totalmente precários. A população unida consegue modificar o pensamento minoritário. Pensamento unificado e desejo de melhoria prioritária são passos fundamentais para o desenvolvimento de toda e qualquer comunidade civilizada.

2 comentários

Ideais e Alucinações disse...

Aqui tbm não é lá essas coisas... É público, né?! rsrs


Ah, não tem problema, não...rsrsrs E obrigada por ter linkado! Vou linkar o seu tbm, OK?!

;D

blogando20 disse...

Olá linkei seu post lá no Blogando 2.0 pois tbm sou carioca e moro na zona oeste, realmente é um absurdo o que nós passamos ao o nosso transporte público tão precário. Mas enquanto as pessoas não se juntam e reclamam que o que eu estou fazendo agora esse problema nunca vai mudar!! E dá-lhe onlimpíadas 2016!!!

Postar um comentário

Leia as regras:
Os comentários deste blog são moderados.
Use sua conta do Google ou OpenID.

Não serão aprovados comentários:
* com ofensas, palavrões ou ameaças;
* que não sejam relacionados ao tema do post
* com pedidos de parceria;
* com excesso de miguxês CAIXA ALTA, mimimis ou erros grosseiros de ortografia;
* sem e-mails para resposta ou perfis desbloqueados;
* citar nome de terceiros em relação à apologias, crimes ou afirmações parecidas;
* com SPAM ou propaganda de blogs.

Importante:
* Diferença de opinião? Me envie um e-mail e vamos conversar educadamente.
* Parceria somente por e-mail.
* Dúvidas? consulte o Google!

Obrigada por sua visita e comentário. Volte sempre!
OBS: Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog e de sua autora.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo
 
;