segunda-feira, junho 29, 2009

A difícil arte de cometer orkuticídio

O orkut, como todos sabem é uma rede social criada pelo turco Orkut Büyükkokten. Foi lançado em janeiro de 2004 e rapidamente ganhou tanta fama que foi comprado pela poderosa Google. O serviço criado exclusivamente para ajudar os usuários a encontrar novos amigos e manter as amizades já existentes. O alvo inicial do orkut era os Estados Unidos, mas a maioria dos usuários hoje são do Brasil e da Índia.

O Brasil possui mais de 23 milhões de usuários e segundo o ranking de visitação é o site mais visitado atualmente no país. Desde de sua criação o orkut teve varias modificações, passou por uma fase de entrada exclusiva a base de convites e depois se tornou livre. Seu design também mudou através dos anos, hoje muito mais funcional, faz com que cada vez mais os apaixonados e viciados do orkut fiquem mais tempo no ar com sua página.

A facilidade para encontrar amigos de infância, da escola e da faculdade tornou a visita ao site de relacionamentos cada vez mais viciante. Mas com o tempo estar no orkut se tornou sinônimo de problemas e perigos.

Muitos casais se separaram por conta dos seus perfis nada tradicionais. Pedófilos e apologia ao racismo e a violência cresce cada dia mais na rede mais famosa do Brasil. O Google fez acordo com o governo brasileiro a fim de acabar com esses tipos de crime, mas mesmo com essa colaboração, cada dia mais fica evidente que o orkut é como erva daninha, arranca-se uma comunidade ruim aqui e nascem 10 novas no dia seguinte com o mesmo tema.

Outra coisa muito interessante nessa rede é o famoso orkuticídio. Cometer um "orkuticídio", nada mais é que um termo usado, no sentido figurado, de "suicídio" para quando algum usuário exclui ou pretende excluir sua conta no sistema. A maior parte dos usuários que excluem suas contas são por problemas em seus relacionamentos amorosos. (foto ao lado do pai do orkut: Orkut Büyükkokten)

Alguns casais encontraram a saída para esse problema criando perfis únicos. Isto é, os dois utilizam a mesma conta para acessar a rede e assim evitar possíveis crises de ciúmes e mensagens indesejadas. Há também aqueles que optam por ficarem anônimos, usando nomes engraçados e imagens de famosos ou desenho animados. Sem falar nos perfis pornográficos, onde o grande boom da página fica por conta da exibição de seus órgãos sexuais explicitamente expostos logo de cara.

Existem também o orkut dos falecidos. As pessoas fazem, morrem e ninguém tira o coitado do ar. E eles ficam lá... Curtindo a rede do "além". E os piores são os de fotos bizarras (como fotos em velórios), perfis de animais de estimação e semi ou totalmente nus. Aff... Sem comentários...

Com o tempo passando outros sites com o mesmo intuito foram aparecendo. Foi o caso do Gazzag (hoje Octopop), Beltrano, Facebook e outros. O mundo foi se modificando e redes sociais exclusivamente profissionais também foram aparecendo, como Plaxo, Via6, LinkedIn, Ning, etc. Mas o orkut continua a ser o mais acessado no Brasil. E consequentemente o mais amado e também o mais odiado.

No orkut ou você ama ou você odeia. Não existe meio termo. Hoje é mais fácil você ver pessoas trocando de rede, como, por exemplo, migrando para o Facebook. O termo orkutização virou febre entre os mais velhos, na faixa acima dos 30 anos, e para eles os mais novos, lá pelos 15/18 anos, são os que mais gostam de ficar na janela virtual que mais cria celebridades instantâneas na Internet, se expondo cada vez mais e tornando o uso do site um varal de vulgarização.

Por mais que, a cada dia as pessoas prefiram ficar no MSN, Twitter e outros comunicadores menos expositores, a quem tenha dificuldade em cometer o orkuticídio. Posso confessar que sou uma delas. Já tentei varias vezes sair da rede, mas sempre tem uma coisa ou outra que me prende por lá. Hoje, fico por conta dos seriados que pego nas comunidades. Mas entrar por "prazer" como fazia no começo, já não entro faz tempo.

Não tenho mais paciência em ficar lendo as mensagens dos scraps, enviar mensagens. Escrever nas comunidades então... Ufa! Não aguento nem mais entrar nela, quanto mais comentar algo. Já apaguei e refiz minha conta inúmeras vezes. Juro para mim mesma que não farei uma nova, mas quando procuro um seriado pela Internet e não encontro link disponível, não adianta, acabo voltando para o velho orkutão.

Nunca apaguei orkut por conta de briga de namorados. Nunca apaguei orkut por conta de qualquer outro tipo de briga. As poucas vezes que o cancelei foi porque cansei do bicho mesmo. Enjoei... Sabe como é? E hoje está voltando aquela vontade incrível de cometer orkuticídio... Mas quando o mouse se dirige para o cancelar conta dá um frio na espinha... Aí desisto...

E você? Já cometeu orkuticídio? Como foi? Porque você decidiu acabar com sua conta por lá? Conte para todos como foi para você!

4 comentários

Tina disse...

já cometi Orkuticidio por 2 x e refiz a conta, td por causa de um neurotico q me seguia.Águas passadas agora só add conhecidos de jogos multiplayer meu maior objetivo na net.Ou familia distante, é tão bom acompanhar o crescimento dos sobrinhos de longe, falar com amigos de infancia, além de não esquecer do aniversário de ninguem.

tutorunopar disse...

Oi Aninha! Vim com o intuito de postar um comentário interessante no seu artigo, depois que vi do que se tratava, desisti, não falo de coisas mortas.

Ana Magal disse...

Tina, eu sei como é difícil, tento fazer isso há anos e sempre acabo voltando, rss

hahah Zé... ainda bem que para você o assunto já está morto e enterrado. Eu não consigo nem matá-lo rsss

Augusto Namitala Barbosa disse...

Já tentei cancelar minha conta muitas vezes mas, nunca consegui, já fui bem 'viciado' no orkut, mas cansei dele. Minha conta tá la abandonada, sem scraps, sem aqueles depoimentos falsos, e sem fotos, os videos estão praticamente fora do ar... A única coisa que fasso lá é participar de alguns debates em comunidades interessantes o que já tornou difícil de achar, graças aqueles jogos ridículos...
Ah, e nem precisa falar daquele tal de Buddypoke...

Postar um comentário

Leia as regras:
Os comentários deste blog são moderados.
Use sua conta do Google ou OpenID.

Não serão aprovados comentários:
* com ofensas, palavrões ou ameaças;
* que não sejam relacionados ao tema do post
* com pedidos de parceria;
* com excesso de miguxês CAIXA ALTA, mimimis ou erros grosseiros de ortografia;
* sem e-mails para resposta ou perfis desbloqueados;
* citar nome de terceiros em relação à apologias, crimes ou afirmações parecidas;
* com SPAM ou propaganda de blogs.

Importante:
* Diferença de opinião? Me envie um e-mail e vamos conversar educadamente.
* Parceria somente por e-mail.
* Dúvidas? consulte o Google!

Obrigada por sua visita e comentário. Volte sempre!
OBS: Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog e de sua autora.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo
 
;